“Todo mundo é um gênio. Mas, se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em árvores, ele passará a vida toda acreditando que é estúpido” – Albert Einstein.

Você já observou o trabalho de um pintor? Ele dispõe de diversas ferramentas diferentes para transformar traços e cores em belíssimas obras de arte.

Pode ser que ele precise rabiscar a tela ou papel em branco com lápis, antes de usar a tinta. Nos contornos de um rosto, talvez use o nanquim. Nas delicadas pétalas de uma flor, um pincel fino. Nos raios difusos de um pôr-do-sol, quem sabe precise de um pedaço de pano para corrigir excessos de tinta e imperfeições ao misturar os tons alaranjados.

Cada tinta, cada cor e cada ferramenta tem um papel fundamental – e único – na obra do artista. Os tons pastéis talvez invejem a força do nanquim, e o pincel fino pode até sonhar em, um dia, ser tão expressivo quanto um grande pincel redondo… Mas talvez, assim, não entendam o quanto são fundamentais para o resultado final da obra. Cada um deles, exatamente como são.

Penso que o mundo é uma grande tela em branco nas mãos do maior dos artistas: Deus (ou o Universo, ou a Vida, conforme a fé e a crença de cada um). Cada um de nós é uma ferramenta única nas mãos desse grande pintor, e nossos dons, qualidades e até mesmo o que chamamos de defeitos são o que nos permitem cumprir nosso papel na obra da vida. Há aqueles que vêm com traço forte de nanquim, há os que carregam a delicadeza dos tons pastéis e até mesmo os pedaços de pano para limpar as imperfeições deixadas pelo outro. Somos todos diferentes, e há um motivo para isso: é a união dos nossos traços que compõe a beleza do mundo.

Um lápis talvez se sinta pequeno perto de vários pincéis, mas é o seu traço que guiará o caminho deles sobre a tela. E o preto talvez se sinta sem graça ao lado de uma palheta de cores vivas, porém nenhuma delas, sozinha, tem o mesmo poder das combinações criadas pelo pintor. Como escreveu Paulo Coelho em uma das suas obras: “Somos instrumentos do mundo nas mãos de Deus”. Cada um do seu jeito, com suas forças e fraquezas únicas, cujo valor se ressalta quando trabalhamos juntos.

Que possamos cumprir no mundo o papel que nos cabe, sem invejarmos no outro aquilo que falta em nós. O outro tem o que é preciso para a missão dele. Eu, para a minha. E você, para a sua. E é justamente o fato de sermos tão diferentes que nos torna tão importantes para a harmonia da vida.

Beijos no coração,
Sam :*