F-I-M. Obaaa! Acabei a história, agora é só enviar para as editoras e torcer para ser aprovada… #SóQueNão!

Na postagem de hoje, você entenderá que o fim da história é apenas o começo do trabalho do escritor e que, antes de disparar seu manuscrito para avaliação das editoras, há 3 importantes providências a serem tomadas.


#1 – Escrever é reescrever

Ao concluir sua história, comemore muito e parabenize a si mesmo – afinal, você merece! Mas é agora que começa uma parte importantíssima do seu trabalho: a revisão. Retome a leitura do texto desde o início e, além de erros gramaticais, observe se todas as pontas que você abriu foram fechadas e se os sentimentos e emoções que desejava transmitir, ao traçar o roteiro, estão funcionando (para ler mais sobre roteiro, clique aqui).

E quem é a melhor pessoa para ajudá-lo a mensurar isso tudo? Seu leitor, é claro! No capítulo #2 dessa série, você aprendeu a importância de selecionar “cúmplices”, ou leitores-beta. Eles serão novamente necessários agora, para a segunda providência…


 #2 – Colha opiniões

Paralelamente à sua revisão, ouça e anote as sugestões, opiniões e críticas do seu leitor-beta (aquele que lerá seu livro antes de todos, durante ou após a conclusão da história). Entenda do que ele gosta, do que ele não gosta, se todas as intenções colocadas no livro funcionam… lembre-se, ele é uma amostra do seu público!

É importante selecionar uma ou mais pessoas para esse papel, que sejam sinceras, tenham senso de crítica literária (com costume de ler, de preferência) e, acima de tudo: sejam confiáveis. É essa palavra que nos leva à providência número três, que eu julgo ser de extrema importância…


 #3 – Proteja seus direitos autorais

Agora que seu livro está prontinho, quem garante que ele não pode cair em mãos erradas e ter o conteúdo plagiado (copiado)? É para se prevenir contra isso que uma importante providência a ser tomada, antes de “soltar” sua história por aí, é registrar o original na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Basicamente, você enviará seu livro impresso com outros documentos anexos e receberá, em algumas semanas, o certificado de registro do seu livro, que comprova que a obra é sua, em caso de plágio.

Como faço para registrar meu original na Biblioteca Nacional?

As instruções estão no site oficial da Biblioteca Nacional (clique para acessar). Deixarei abaixo o procedimento atual (maio de 2016), mas há a informação no site de que o processo de registro mudará em breve. Portanto, siga estritamente as regras do site oficial!

Como funciona no momento (maio / 2016):

1- Imprima uma via do seu livro (cópia simples, encadernada em espiral mesmo) com todas as páginas enumeradas e rubricadas pelo autor (assinadas).

2- Imprima e preencha o formulário deste link com as informações da sua obra (clique aqui).

3- Imprima e pague o GRU (boleto) no valor de R$ 20,00 (clique aqui). Lembre-se: consulte a tabela oficial de valores antes de realizar o pagamento, pois pode ter mudado até sua leitura deste artigo (clique aqui para acessar a tabela).

4- Os documentos que você encaminhará para registro da obra são:

  • 01 (uma) via impressa do seu original com as páginas assinadas (item 1);
  • O formulário de registro preenchido e assinado (item 2);
  • Comprovante de pagamento original do GRU (item 3);
  • Cópia simples do seu RG e CPF;
  • Cópia simples do seu comprovante de residência;
  • Se você for menor de idade: cópia do RG e CPF dos pais ou responsáveis;

Você pode enviar por correio ou entregar em mãos no endereço informado no site da Fundação:

Escritório de Direitos Autorais (EDA)
Palácio Gustavo Capanema
Rua da Imprensa, 16 – Centro
12º andar, sala 1205
Rio de Janeiro – RJ
CEP: 20030-120

Dicas:

  • Guarde uma cópia do comprovante de pagamento (GRU) com você (a original será entregue para eles);
  • Se enviar pelo correio, escolha o modo “registrado” (que permite a você rastrear se foi entregue).

Em alguns meses, você receberá uma carta do Escritório de Direitos Autorais com o certificado de registro do seu livro. E pronto! Sua obra está registrada e você tem seus direitos autorais protegidos.

 

Agora, vem a pergunta: Publicar ou não? Eis a questão…

Qual a sua intenção com a história? Sente-se seguro para levá-la ao grande público? Está preparado para as críticas positivas e negativas? Uma opção sempre bem-vinda é publicar o(s) primeiro(s) capítulo(s) em uma plataforma online gratuita para testar a aceitação e interesse do público, e usar as informações ali colhidas (comentários, reações etc.) para melhorar sua história e/ou como estatística para apresentar seu trabalho às editoras.

É sobre isso que falaremos na próxima terça-feira: Quero publicar meu livro… e agora?

Quais os tipos de publicação existentes? Como selecionar editoras para enviar meu manuscrito? De que forma montar e enviar meu material para aumentar as chances de ser lido – e aprovado? Se esse tema lhe interessa, fique de olho no blog e inscreva-se no canal do Youtube para acompanhar todas as postagens. Envie também suas dúvidas para que eu possa usá-las na elaboração dos vídeos, ou responder diretamente a você. No vídeo de hoje, respondi à pergunta da leitora Fabíola Luz:

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

 

Beijos cheios de carinho,

Sam :*